A perfect circle

26fev10

Vocês todos sabem que a vida é um ciclo. Um Circulo perfeito. Normalmente as situações vão se repetindo de tempos em tempos. Eu não sei o porquê disso.Só sei que é assim.
Eu vou explicar o porque desta introdução. Sim, lá vem história.
Quando eu era criança, pré adolescente e adolescente (no começo), eu nunca fis parte de um grupo de elite. Nunca fui de um grupo de meninas que se auto intitulava bonde de qualquer coisa, nunca fui num passeio hipersupermega divertido na praia nos feriados com um grupo super descolado, nunca namorei os melhores garotos da sala, nunca fui num encontro de blogueiras onde conhecia todo mundo, enfim, nunca fui popular. Me conformei com isso e seguir minha vida, conheci pessoas muito legais no ostracismo da elite e me divirto pensar que sempre me envolvo com gente estranha. Elas sempre são mais legais. O problema é a soberania desses grupos.Vou dar um exemplo recente.
Eu faço artes. Ponto. Ontem cheguei na sala (atrasada, busão, sabecomoeh) e a professora falou aos montes que iria andar rápido com a aula até as 19:30. A aula vai até as 21:20. Perguntei a menina do meu lado se a professora iria liberar todo mundo as 19:30, se a aular iria acabar mais cedo. Ai a menina me respondeu que um grupo de pessoas irião pro MAM. Ok, achei que fossem 3 pessoas que não gosto muito (que são a elite, quer dizer) e adorei a idéia deles irem embora (e me deixarem um lugar bom). Deu 19:30 metade da sala, do grupo deles, foram embora. MAM é museu de artes modernas, localizado no flamengo, Zona sul do RJ. E o evento era uma abertura de uma exposição de alguns importantes artistas plásticos conteporâneos. Eu super queria ir neste evento. Ponto. Ce acha que todo mundo sabia deste evento? Claro que não, as pessoas convidadas e as avisadas eram as pessoas do grupo deles, das pessoas que andam com eles, as pessoas com que eles falam e que para eles tem importância. Lógico que eu queria ir neste evento. Não com eles, mas eu queria ir. Agora, onde eu quero chegar:
Os grupos elites normalmente são pessoas futeis e burras mas espertas o suficiente para juntarem um grupinho e fazerem deles um montante inteligente, culta. Mas não são. Enquantos as pessoas que são anormais são jogadas para a periferia, não tendo as mesmas vantagens deles. Normalmente conhecem um monte de gente. Eu achei absurdo porque somos alunos de ARTES e um evento de ARTES é de interesse comum para todos. Foi uma questão ESTUPIDA de mostrar poder.
Alguém me perguntou nos comentários do porque que eu não gosto da minha faculdade. Por este motivo, e por outros.
O pior de tudo é que não sei lidar com esta situação. Eu já passei por isso e esta pode ser minha chance de me vingar do meu passado, seja lá o que significa isso. Mas na verdade, não sabemos nada e sempre cometemos os mesmos erros. Lembra, estamos num circulo e a gente acaba voltando pro mesmo lugar.

Ps: 12:51 tem blog, você pode comprar com mais tranquilidade por lá
ps2: eu dancei bad romance numa buatchy! Agora só flata 9 da minha lista!

Anúncios


14 Responses to “A perfect circle”

  1. Olá little bia!
    Eu sei bem como é isso, o pior de tudo é que esses “bondes” e “grupos” acham que são os melhores em tudo… e no fim, não significam nada.
    Beijos e sucesso :*

  2. Estudo no ensino médio de uma escola particular aki no interior, e grupinhos como esse ñ faltam! Já sonhei, ou almejei a popularidade… mas me conformei e agr estou sastisfeita c/ as pessoas q me rodeiam: são verdadeiramente amigas e não se exaltam qnd têm uma oportunidade up! Prefiro assim

    adorei seu blog, visita o meu tbm!
    http://www.mapear.criarumblog.com
    b-jos e suceso!!! by: (Márÿ)

  3. a vida é um ciclo sim, e tem vezes que fica tão tedioso e as cenas se repetem tão rápidas, que dá vontade de torná-la uma reta.

  4. hushaiuhsas, por isso eu sempre andei com a pior (melhor na real) parte da turma! o bonde dos que só fazem merda nunca falha! DICA!

  5. É por isso que eu sempre sou muito na minha, sabe, já me decepcionei com muitas pessoas durante a faculdade. Tinha amigos, claro, e me relacionava com todos da sala de forma pacífica, mas não dependia de ninguém. A partir do momento que percebi que cada um só pensava em si, e passavam por cima de todos pra conseguir o que queriam, passei a fazer tudo por conta própria. Corri atrás de estágios, de cursos, de tudo sozinha… almoçava sozinha… fazia tudo sem contar pra ninguém, assim como faziam comigo. Beijos

  6. amiiiiga!
    tem selinho pra voc la no blog !
    Bjs bjs!

  7. Complicado hein?
    Isso porque vc está em uma faculdade, vc imagina esse pessoal no ensino médio?
    bjs

  8. hm, sei como é isso. e dá raiva, porque eles não são melhores que ninguém. mas infelizmente nossa sociedade é elitista, e são eles que recebem maior atenção e mais vantagens. o que nós, pobres mortais temos que fazer, é lutar para conseguir chegar lá. ou torcer pra uma igualdade.

  9. Vou começar minha faculdade esse ano (amanhã, para ser mais exato) e me disseram que era mais tranquilo: não existem os engomadinhos do colegial. E agora você me diz isso, hahaha.

    Morro de medo.

    O negócio é fazer grupo com pessoas que fazem você se sentir bem. Sempre deu certo comigo.

  10. Aaah, bate aqui! o/ Também nunca consegui me moldar a esses grupos, apesar de ter um ou dois amigos que se misturam bem com eles… Às vezes fico chateada por isso, tipo quando acontece algo como o que você citou. Dá vontade de jogar uma bomba. Mas é a vida. E eu não acho que devamos mudar para fazer parte de nada disso, mas sim que podemos correr atrás do nosso próprio espaço sendo quem somos.

  11. 11 Nat

    Não sei te aconselhar (nem mesmo a uma maldade qualquer). Se eu estivesse em dos grupos que você citou, seria o seu. Portanto, também estaria puta e sem saber o que fazer. A vida, às vezes, é uma merda mesmo. ;x

  12. O evento era fechado para convidados??? Que saco!

  13. ai eu tbm nunca fiz parte da elite, tenho muito pobrefeellings pra sair dessa vida -q
    uahsaushuhsuahsuh

  14. Nossa!!

    Eu achava mesmo que era só em curso de moda que tinha estas panelinhas nojentas… =O
    Tipo, eu sou assim como você, nunca fui a “bam-bam-bam” em nada! Sempre fui a “Nerdona” (eu sou bem nerd sim), no meu cantinho com poucos amigos que têm a tendência de sumir ao longo do tempo e tudo o mais!
    Hoje faço Design de Moda, e apesar de amar meu curso, simplesmente me desanima imaginar quem serão meus futuros “colegas de trabalho” quando observo meus “””colegas””” de sala (entre muitas aspas mesmo)! E são exatamente desta forma que você mencionou seus “colegas”. Eu poderia dizer que são piores, mas acho que não, devem ser iguais!

    No fim, fazemos a diferença a nossa maneira, não é mesmo? Espero mesmo que esta diferença se faça no mercado de trabalho aos olhos profissionais. E de maneira positiva, como ela é para nós, de fato!

    Me identifiquei muito com seu blog! Gostaria de ter a mesma liberdade para escrever que você tem! =)

    Beijinhoss


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: